quinta-feira, 3 de março de 2011

A Última ceia, de Leonardo da Vinci


Descrição da Pintura:

Quando o Leonardo escolhe essa pintura, que está baseada em João 13:21, no qual Jesus anuncia aos doze apóstolos que alguém, entre eles, o trairia. Essa pintura, na história evangélica, é considerada a mais dramática de todas.

Ao centro, o Cristo é representado com os braços abertos, em um gesto de resignação tranqüila, formando o eixo central da composição. São representadas as figuras dos discípulos em um ambiente que, do ponto de vista de perspectiva, é exato. Sendo restaurada por sete vezes.

Em minha opinião esta imagem mostra claramente a ceia entre Jesus e os seus doze discípulos, onde Jesus fica no centro isolado e os apóstolos em grupos de três ou quatro. Existem outras interpretações de que o discípulo à direita de Jesus Cristo, João, seria na verdade Maria Madalena. Suas feições femininas e traços delicados seriam indicações disso. Tais interpretações alternativas como esta, podem ser contestadas com sucesso com a comparação de propostas formais e estruturais empregadas por Da Vinci em outras obras; no caso da última ceia a leitura da passagem bíblica na qual o quadro baseou-se (Evangelho de João, capítulo 13) comprova convincentemente que as interpretações mais difundidas academicamente não são apenas mais fundamentadas, como mais lógica e racionalmente explicáveis tendo em vista o texto referencial como modelo.

Esta celebração de ceia é repetida até hoje em muitas igrejas, reconhecendo que o vinho é o sangue de Jesus que limpa o homem do pecado e o pão o corpo de Cristo que restabelece a comunhão com a Igreja.

Postado por Diego Nascimento Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário